Compliance e pequenas empresas

Compliance e pequenas empresas, é possível, de modo mais simplificado, pois ninguém escapa de instituir integridade em seus negócios.

Para tanto, o Compliance deve ser compatível com a natureza, o porte, a complexidade, a estrutura, o perfil de risco e o modelo de negócio da pequena empresa.

Assim, o Compliance e pequenas empresas é estruturado com menor rigor e proporcional a sua capacidade de investimento.

Isto porque, o Compliance se tornou uma obrigação para toda e qualquer empresa com a Lei Anticorrupção.

Mais principalmente para Compliance e pequenas empresas que pretende se relacionar com a administração pública.

Primeiramente vamos esclarecer quais empresas se relacionam com o poder público, e em seguida abordar quais os pilares da construção do Programa de Compliance é exigido para pequenas empresas.

Ainda conferi no Blog o post Compliance Trabalhista ou Programa de Integridade e baixe o e-Book:

Bem como é importante que o Empresário compreenda que atender a legislação desonera o financeiro de sua empresa.

Como, por exemplo, fazendo a contratação do trabalhador de modo correto. Assim confira o e-Book gratuito com os 9 passos da Contratação de Funcionários.

Compliance e pequenas empresas contratam com poder público

Dessa forma, as empresas que contratam com poder público devem se organizar para implantar e executar o Programa de Compliance com ênfase no combate a corrupção.

Enfim, Compliance é para qualquer tamanho de empresa ou ramo de atividade.

Contudo, as empresas que precisam implantar e executar mais rapidamente o Compliance são:

  1. Possuem ou pretendem ter contratos com a Administração Pública;
  2. Pretendem participar de licitações públicas;
  3. Pretende fornecer para Organizações Estatais;
  4. Setor Financeiro;
  5. Terceiro Setor;
  6. É fornecedor ou parceiro de multinacionais e grandes organizações;
  7. Tem funcionários que sejam pessoas politicamente expostas;
  8. Logo buscam patrocínios, pois atua na área cultural;
  9. Startup em busca de investimentos;
  10. Pretende fazer negócios no exterior.

Dessa forma, os Estados do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Amazonas, Goiás e a cidade de Aracaju/SE exigem das empresas, que tem contrato ou que pretendem contratar com o Poder Público, que tenham implantado o Programa de Compliance ou Programa de Integridade.

Também o estado do Mato Grosso que exigem assinatura de um termo anticorrupção das empresas contratadas pela Administração Pública.

Assim, as exigências de Compliance para contratar com a Administração Pública são uma tendência nacional, e que as empresas cedo ou tarde terão que se adaptar.

Os 7 pilares do Compliance e pequenas empresas

Porquanto, ao contrário do que aparenta a estruturação e implementação do Compliance e pequenas empresas não é demorado e nem dispendioso.

Afinal, o passo a passo dos pilares do Programa de Compliance e pequenas empresas são mais simples e objetivo, como prevê a Controladoria Geral da União – CGU em seu e-book “Integridade para pequenos negócios“.

Assim, os 7 pilares do Compliance e pequenas empresas são:

  1. Compromisso da alta direção;
  2. Análise de riscos;
  3. Código de Conduta, Políticas e Medidas Disciplinares;
  4. Comunicação e treinamento;
  5. Controles internos e Registro Contábeis de confiança;
  6. Interrupção das irregularidades e correção dos danos;
  7. Por fim, prevenção de fraudes e irregularidades na contratação com a administração pública e transparência na doação a candidatos e partidos políticos.

As vantagens do Compliance e pequenas empresas

Desse modo, as vantagens da integridade para as pequenas empresas são atrativas, pois:

  1. Grandes empresas, como multinacionais, dão preferência a contratar com pequenas e médias empresas que adotam o programa de integridade;
  2. O que torna as pequenas e médias empresas mais competitivas;
  3. Evita fraude e criminalidade em suas empresas;
  4. Tem mais conhecimento dos riscos de seus negócios;
  5. Aplicação racional de recursos financeiros;
  6. Diminuição das penalidades-multa caso a empresa seja responsabilizada pela Lei anticorrupção;
  7. Ainda reduz as reclamatórias trabalhistas;
  8. Além de reunir os argumentos e possibilidades seguras de demissão por justa causa de trabalhadores inconvenientes.

Em suma, benefícios podem ser conferidos no meu texto Compliance passo a passo, onde enumero 16 benefícios do Compliance e pequenas empresas.

Conclusão

Em resumo, a limitação financeira não deve ser desculpa, e nem obstáculo a execução de um programa de Compliance e pequenas empresas.

Enfim, as vantagens advindas da integridade compensam o esforço financeiro e gera oportunidades ímpares os pequenos negócios.

Portanto, empreendedores o que estão esperando para usufruir dos benefícios de Programa de Compliance e pequenas empresas?

Por fim, não percam a oportunidade de se tornarem mais íntegros e competitivos. Caso esteja precisando de ajuda consulte um profissional de sua confiança.

Curta este post, compartilha com os amigos, acompanhe no Instagram @alinefonsecaadvocacia, se  inscreva aqui no Blog e receba novos conteúdos semanalmente.

Deixe uma resposta