Assédio Moral no trabalho, como a empresa deve evitar.

Assédio Moral no trabalho, como a empresa deve evitar.  As 3 principais manchetes jornalísticas a respeito do tema nos cinco últimos anos:

  1. 52% dos profissionais já sofreram assédio, manchete do post no site de vagas.com.br;
  2. Crescem denúncias feitas por funcionários, manchete do post no site Valor Econômico, em 22/01/2018;
  3. Denúncias de assédio superam as de corrupção nas empresas, manchete do post no site Revista Nova Família.

Visto que, a consultoria de compliance ICTS Outsourcing demonstra que houve um aumento de 50% de denúncias recebidas entre 2014 e 2017.

Portanto, as pesquisas dos últimos 5 anos demonstram que o Assédio no ambiente de trabalho é um problema atual.

Dessa maneira, no post de hoje, “Assédio Moral no trabalho, como a empresa deve evitar”, vamos apresentar quais as medidas que o Empresário pode adotar, para prevenir o Assédio em seu ambiente de trabalho.

Assim, o empresário deve compreender que é sua responsabilidade evitar, que crimes de assédio aconteçam dentro da sua empresa. Então confere no post Assédio e os prejuízos nas empresas a dor de cabeça, caso ocorra algum caso de assédio dentro da sua organização.

Afinal, assédio moral no trabalho, como a empresa deve evitar.

O Assédio Moral e sexual, não é só crime e degrada o ambiente de trabalho e a saúde do trabalhador. Assim como, acarreta pesado prejuízo econômico para as Empresas.

Isso sem contar, a reputação negativa, para o Empresário e sua empresa. Afinal, assédio moral no trabalho, como a empresa deve evitar?

Os pilares de construção de um Programa de Compliance, não servem somente para garantir a conformidade, mas também para educar, monitorar e resolver episódios de assédio nas empresas.

As medidas recomendadas:

– Criar regras de conduta a respeito do assédio moral e sexual;

– Capacitar os colaboradores, que exercem a função de líderes para propagar entre os colegas o combate ao assédio;

– Bem como promover palestras educativas a respeito do tema Assédio;

– Disponibilizar um canal de denúncias, que garanta o anonimato, e investigação dos relatos;

–  Por fim, nas negociações coletivas de trabalho incluir cláusulas para prevenir o assédio.

As consequências de ignorar o Assédio Moral no trabalho.

Enfim, quando o Empresário adota a posição cômoda de ignorar o assédio no seu ambiente de trabalho, ele está assumindo a responsabilidade de um fato criminoso.

Em seguida, basta conferir no e-book Compliance Trabalhista e Previdenciário o prejuízo de R$ 350 mil reais em dano moral coletivo que uma Empresa foi condenada.

Além disso, ainda há as medidas de compliance que foi obrigada judicialmente a implementar, para educar seus trabalhadores que assédio sexual e moral é crime.

Ainda, aproveita para conferir o post Assédio Sexual no trabalho e o Compliance Trabalhista.

Conclusão

Em resumo, o empresário não espere que o assédio moral aconteça em sua empresa. Pois, assim acaba por assumir os prejuízos financeiros e a destruição de sua reputação por ignorar uma situação de assédio entre seus colaboradores.

Porquanto, com o Programa de Compliance, o Empresário previne e resolve o assédio no ambiente de trabalho, adequá sua empresa a legislação trabalhista e previdenciária. Igualmente atende a legislação anticorrupção, e agora a LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados.

Bem como, organiza sua empresa com profissionalismo, e com excelência administrativa em Governança Corporativa.

Por fim, construir reputação e confiança necessárias para boas parcerias comerciais, além de atrair investidores. Ademais, garante a sustentabilidade e o sucesso de seus negócios.

Em suma, não sabemos o que o Empresário ainda está esperando para implementar um completo Programa de Compliance em sua empresa.

Curta este post, compartilha com os amigos, acompanhe no Instagram @alinefonsecaadvocacia, se  inscreva aqui no Blog e receba novos conteúdos semanalmente.

Deixe uma resposta