Auditoria da Cultura Corporativa

Auditoria da Cultura Corporativa

A auditoria da Cultura Corporativa ajuda as empresas a se manterem no planejamento prévio traçado para alcançar seus objetivos empresariais. Até mesmo, evitar a falência de muitas empresas em crise.

Desde que empresa é empresa, a cultura corporativa é o divisor de águas, entre sobreviver ou sucumbir no mundo dos negócios.

No post de hoje vamos conhecer a Auditoria da Cultura Corporativa e como tirar proveito para potencializar os resultados das empresas. Para tanto, é importante desenvolver os tópicos a seguir:

O que significa auditar?

O que é cultura corporativa?

Como auditar cultura corporativa?

O caso Enron exemplo de falência da cultura corporativa.

O que significa auditar?

A auditoria é a análise das atividades empresariais, nos seus mais diversos setores, para averiguar se atende ao planejado e aos objetivos previamente traçados pela empresa. Sempre no intuito de ajustar o que estiver fora dos trilhos para manter a empresa no rumo correto protegendo e melhorando seu valor.

Para tanto, a auditoria desenvolve registros, dados, faz estudos e análises críticas para fornecer o máximo de informação segura, para que a liderança e/ou conselho de administração possam agir com total segurança na consecução dos objetivos empresariais.

De modo, que é possível uma auditoria financeira, auditoria de cumprimento ou compliance, enfim conformidade, que pode ser, por exemplo, trabalhista ou ambiental, a auditoria operacional, e até mesmo uma auditoria da cultura corporativa.

Por isso, é tão importante uma pesquisa de clima organizacional para averiguar o perfil comportamental e de valores na empresa, ou seja, averiguar sua cultura corporativa, para saber onde deve ser ajustado de modo a manter a empresa no rumo dos seus objetivos.

Com a necessidade de adequação das empresas a realidade digital é de suma importância a auditoria da cultura corporativa para ser identificado como e o que é necessário as empresas, para se adequarem ao mundo digital.

Principalmente, para as empresas que tem liderança avessa a adequação digital.

O que é cultura corporativa?

Afinal, o que é cultura corporativa?

Em suma, é o conjunto de princípios éticos da empresa, que traduz o comportamento da sua liderança, e assim molda a personalidade corporativa desta empresa.

Para tanto, é preciso conhecer como a empresa trata os clientes, como age com colaboradores, como convive com os concorrentes e a comunidade que está inserida, como se comporta a liderança, como ela reage a eventos negativos.

Enfim, Cultura é comportamento, e cultura corporativa é o comportamento da empresa frente aos seus dilemas diários, o comportamento de sua liderança, que define o estilo de sua empresa.

Guilherme Benchimol fundador e CEO da XP Inc. em live no evento Connections, da Monte Bravo Investimentos, no painel: “Novo normal: desafios e oportunidades para o futuro”, declarou:

“O empreendedor entender que tão importante que atingir suas metas quantitativas, é atingir elas da forma correta, e a forma é a cultura. (…). A cultura não é só aquilo que você escreve na parede, … É importante que os líderes da empresa exerçam ela todo dia, senão ela perde consistência. (…). A cultura faz com que todas as engrenagens da empresa se encaixem.”

Quanto maior a empresa, mais risco da cultura corporativa se dispersar para as culturas de colaboradores líderes, que podem não estar alinhadas a cultura da liderança.

Logo, tão importante quanto dar o exemplo, é manter o padrão de cultura da liderança. Quando o padrão cultural da liderança se perde, quando há muitos conflitos internos na empresa, ou quando há necessidade de se adequar a uma nova realidade, como a digital, por exemplo, é de extrema importância rever os padrões culturais da empresa.

Como auditar a cultura corporativa de uma empresa?

Entre os inúmeros itens de avaliação da cultura corporativa é importante análise do ambiente corporativo, e principalmente do comportamento dos líderes.

Bem como identificar os desafios que a empresa já tenha enfrentando ou possa vir a enfrentar e oportunidades.

Anteriormente já foi dito que é necessária uma pesquisa de clima organizacional para compreender a atual realidade cultural da empresa.

Ainda identificar onde é preciso fazer ajustes, ou onde é necessário mudar, ou criar princípio condizente com o objetivo da auditoria.

Então, o primeiro passo é identificar qual o objetivo que a liderança da empresa quer alcançar com a auditoria. Já o segundo passo é fazer a pesquisa de clima organizacional.

Quanto ao primeiro passo é mais didático estabelecer um ou vários temas, por exemplo, conflito de interesse e brindes corporativos.

Com a temática estabelecida e a pesquisa elaborada evoluísse-se ao terceiro passo, as entrevistas direcionadas aos temas. De modo, a identificar qual o comportamento dos colaboradores diante destes temas.

Assim, a pesquisa de clima organizacional é realizada através de entrevistas para saber qual a aderência dos colaboradores as normas internas da empresa.

Bem como o comportamento deles, no ambiente de trabalho, diante dos dilemas diários, principalmente quantos aos temas desenvolvidos.

Todo o processo deve estar atrelado a uma boa conversa e demonstração de confiança, para evitar que o auditor seja mal interpretado, e consequentemente evitar conflitos desnecessários.

O caso Enron exemplo de falência da cultura corporativa.

A Enron empresa de fornecimento de gás e energia elétrica foi considerada a sétima maior empresa dos EUA, e uma das maiores empresas de energia no mundo, mas acabou ficando conhecida como a maior fraude contábil.

Entretanto, ela nutria uma cultura corporativa perigosa quanto a remuneração do Conselho de Administração.

Enfim, a Enron costumava remunerar seus conselheiros com ações da própria empresa, esta forma de remuneração é denominada Stock Options.

A fraude da gigante do setor elétrico girava em torno da manipulação contábil para esconder a real situação financeira da empresa.

A remuneração do Conselho de Administradores estava vinculada aos resultados nos lucros, política de remuneração temerária.

Então, quanto maior lucro a Enron obtivesse, e mais rentável fosse, maior seria a renda dos membros do Conselho.

Tanto foi assim, que o CEO Kennethy Lay vendeu as suas ações no valor de 200 milhões de dólares, antes que a fraude fosse descoberta, e com isso incorreu no crime de Insider Tranding.

Por fim, o resultado da fraude foi um prejuízo em dívida de 13 bilhões de dólares.

A falta de uma cultura corporativa ÉTICA somada a uma política de remuneração temerária arrastou a Enron para a falência, e junto levou o fundo de pensão de seus funcionários e investidores.

Entretanto, a Enron não agiu sozinha, pois contou com a ajuda da empresa de auditoria independente Arthur Andersen para encobrir a fraude contábil.

Conclusão.

Se a auditoria independente não tivesse perdido seu real objetivo, e se fizesse auditorias da cultura corporativa periódicas poderia ter ajudado a Enron, a adotar um novo comportamento.

Assim, teria evitado a falência e prejuízo a diversos investidores pelo mundo.

Portanto, auditoria da cultura corporativa é importante e deve ser realizada constantemente para garantir o padrão de comportamento da liderança, e que tal comportamento seja ético.

Enfim, apresentar boas demonstrações financeiras não é suficiente para garantir uma administração ética, evitar fraudes, também não é parâmetro de confiança para investidores.

Posto isto, a auditoria da cultura corporativa garante inúmeros benefícios desde manter a empresa nos seus objetivos previamente planejados, evitar que empresas venham a falência, evitar fraudes internas e corrupção.

Bem como, sanar conflitos internos, identificar falhas e/ou oportunidades, construir uma cultura de integridade, e por fim, ainda serve de parâmetros de confiabilidade para investidores.

Atenção: post exclusivamente informativo e não responsabilizamos por atos e interpretação de terceiros.

Curta este post, compartilha com os amigos, acompanhe no Instagram @alinefonsecaadvocacia, se  inscreva aqui no Blog e receba novos conteúdos semanalmente.

Enfim, pratique o hábito da integridade em seus negócios sendo sempre compliance!

Deixe uma resposta