Agronegócio e o ceticismo na inovação da gestão

Agronegócio e o ceticismo na inovação da gestão

Agronegócio é cético quanto a inovação da sua gestão. A pesquisa anual da Deloitte: “Desafios e oportunidades de empresas familiares 2020”, constatou que as empresas familiares são avessas aos riscos.

Ao ponto de não modernizar ou atualizar sua gestão, por receio de resultados negativos e consequente abalo no rendimento familiar. Importante ressaltar, que as empresas do agronegócio são em quase sua totalidade familiares.

Assim, as empresas do agronegócio são céticas quanto a fatores inovadores na gestão como consultorias, governança corporativa, compliance e auditorias.

Entretanto, estes fatores inovadores ajudam as empresas do agronegócio na geração de novos negócios, oportunidades comerciais, e gestão profissional para continuarem a crescer.

Afinal, como convencer o Patriarca do agronegócio a tirar proveito das inovações da gestão e potencializar seu rendimento?

De suma importância demonstrar a estratégia, e os benefícios, que advirão da inovação na gestão. No post de hoje veremos:

  1. Cultura Familiar alinhada aos objetivos empresariais, familiares e do fundador.
  2. Recursos Financeiros.
  3. Os benefícios da governança corporativa e compliance.
  4. O que é Governança Corporativa?
  5. O que é Compliance?
  6. Agronegócio e o ceticismo na inovação da gestão.

Cultura Familiar alinhada aos objetivos empresariais, familiares e do fundador.

O sucesso das empresas do agronegócio está em preservar a cultura familiar na missão, visão valores do fundador e sua família.

Bem como o alinhamento dos objetivos familiares com os objetivos empresariais, e por fim o alinhamento com as demandas da globalização.

Contudo, a pesquisa da Deloitte constatou que apenas 35% das empresas familiares alinham os objetivos empresariais aos familiares.

De modo, que a falta de harmonia acarreta desentendimentos de metas, desejos, rotas e visões, que causam prejuízos no desempenho e longevidade.

Por fim, acabam por levar as empresas do agronegócio, do sucesso a bancarrota.

Portanto, as empresas do agronegócio têm que entender logo, que uma cultura familiar bem construída e alinhada aos objetivos empresariais, familiares, e ainda atualizada com a globalização é o diferencial entre sobreviver ou morrer.

Assim, uma cultura familiar sólida, íntegra e moderna só irá trazer benefícios para as empresas do agronegócio, ainda, destacar a imagem dela, no mundo dos negócios.

Qual empresa você acredita que seus parceiros de negócios, bancos e investidores irão escolher: a empresa sólida e moderna ou a empresa jurássica, que já morreu e esqueceram de sepultar?

Por fim, a cultura familiar está para as empresas do agronegócio, como a cultura corporativa está para as demais empresas.

De modo, que deve ser preservada e perpetuada, pois foi esta cultura familiar que garantiu o sucesso da empresa do agronegócio, e que garantirá sua longevidade.

Mais a respeito de Cultura Corporativa confere no post “Auditoria da Cultura Corporativa”.

Recursos Financeiros.

Ademais, a falta de recursos financeiros é outra dificuldade para muitas empresas, independente delas serem familiares ou não, MAS principalmente para empresas familiares e do agronegócio.

Nitidamente as empresas que faliram e fecharam as portas, com a crise sanitária do Covid-19 que vivenciamos, foram abaladas por falta de capital de giro.

Outras demandas, como, por exemplo, e-commerce e home office, são necessidades que exigiram capital para mudanças rápidas, e atender a necessidade do mercado e as circunstâncias da crise sanitária.

A pesquisa também constatou que menos de 30% das empresas familiares possuem recursos financeiros internos para sobreviver as demandas, ou fazer outros investimentos, e se adequar à nova realidade.

Ainda, que 35% das empresas familiares já estão conscientes que precisarão buscar capital de giro em bancos ou com investidores.

Portanto, esbanjar boa reputação, ter uma cultura corporativa sólida, ser moderna na sua gestão, por vezes até adotar a Governança Corporativa e Compliance são os diferenciais que atrairão o capital de giro, para as empresas do agronegócio.

Até mesmo porque, o agro não para, se não para precisa crescer, ainda aproveitar a oportunidade de ser o único setor da economia, que não foi abalado pela crise sanitária do Covid-19.

Os benefícios da governança corporativa e compliance.

Em geral, as empresas do agronegócio são geridas por um líder familiar, que dedicou toda sua vida ao campo.

Quando, estas empresas crescem, desenvolvem e precisam alçar voos maiores, elas se dão conta das complexas exigências, que os investidores pretendem na gestão dos seus negócios.

Agora, o Patriarca do campo se depara com a Governança Corporativa e Compliance, que são formas de administrar a empresa de modo mais seguro para os investidores e parceiros de negócios.

Então, quais seriam os benefícios proporcionados pela Governança Corporativa e Compliance no agronegócio?

  1. Identificação antecipada de ameaças e oportunidades;
  2. Aumenta a probabilidade de atingir os objetivos empresariais;
  3. Diminui o endividamento da empresa e os prazos de recebimento;
  4. Aumenta o ROE  – retorno sob o investimento, ou seja, patrimônio líquido;
  5. Aumenta a liquidez da empresa, ou seja, a sua capacidade financeira para cobrir o passivo;
  6. Encoraja e fornece subsídios para uma gestão proativa, tomada de decisões e planejamento;
  7. Melhora a governança;
  8. Melhora a comunicação, feedback e reporte das informações;
  9. Auxilia as empresas a resolverem erros e executar corretamente as exigências legais e com a fiscalização;
  10. Evita perdas financeiras desnecessárias, com multas, e acertos rescisórios desnecessários;
  11. Proteção a saúde financeira da empresa, com aplicação racional de recursos;
  12. Não somente recuperar o dinheiro perdido com pagamento de tributos errados para mais;
  13. Também evita a perda de dinheiro por desvios fraudulentos de funcionários;
  14. Como ainda identifica e combate fraudes e criminalidade empresariais;
  15. Melhora a confiança e atraem clientes, fornecedores, parceiros e investidores;
  16. Tem mais conhecimento dos riscos de seus negócios e assim promove a prevenção, controle e mitigação;

Enfim, são 24 benefícios os demais podem ser conferidos no post intitulado: “Compliance por quê?”.

O que é governança corporativa?

O Patriarca do campo deve se perguntar: mais afinal o que é essa tal de Governança Corporativa e Compliance, que tanto querem que eu implante em meu negócio?

A governança corporativa é a metodologia para administrar, monitorar, e acompanhar a gestão das empresas para um bom relacionamento entre os sócios, os executivos, os conselheiros, os diretores, os colaboradores, a fiscalização, os controladores, os familiares e os demais interessados.

Também, garante que a empresa alcance seus objetivos empresariais e sustentabilidade ao longo do tempo, e ainda protege o investimento dos acionistas.

Segundo o Código das melhores práticas de Governança Corporativa do IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa:

“Governança corporativa é o sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas. As boas práticas de governança corporativa convertem princípios básicos em recomendações objetivas.”

Assim, os quatro princípios básicos são: transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa.

O que é Compliance?

Cultura Familiar? Ok. Governança Corporativa? OK. Compliance o que é? Como interagem todos esses elementos?

Então, compliance também é uma metodologia que visa adequar a empresa as normas legais, as normas regulamentadoras e as normas internas da empresa.

Contudo, compliance ultrapassa a simples conformidade legal da empresa, para buscar um comportamento consciente e voluntário de cumprir os preceitos legais com ÉTICA.

O que explica, porque um programa de compliance efetivo desenvolve a cultura familiar e corporativa alinhadas entre si, e em preceitos éticos.

Portanto, a governança corporativa será efetiva através de um programa de compliance, que irá pôr em práticas suas melhores recomendações objetivas (princípios).

Em resumo, a governança corporativa somente se materializa com um programa de compliance efetivo.

Agronegócio e o ceticismo na inovação da gestão.

O ceticismo que o agronegócio nutre em relação à inovação da gestão de seus negócios, se deve mais por desconhecer as metodologias inovadoras de gerenciamento empresarial, pois não há uma disseminação educativa de tais institutos na sociedade.

Assim, o Patriarca do agronegócio desconhece os benefícios que tais institutos podem proporcionar.

Bem como, é fácil perceber que eles não têm o hábito de uma cultura de inovação, nem conseguem perceber a necessidade de empreender e inovar, de tempos e tempos.

Atualmente esta necessidade de inovação tem acontecido mais rápido e de modo mais intenso, em virtude, da Revolução Industrial 4.0.

Sendo que 35% das empresas do agronegócio já estão conscientes que precisarão buscar recursos financeiros, em bancos ou com investidores, para conseguirem se manter.

Então, estas empresas precisam conhecer as formas de construir uma boa reputação no mercado e inovarem na sua gestão, para terem acesso aos recursos financeiros, que irão manter o sucesso e a longevidade de sua empresa.

Por fim, muito importante ressaltar que consultorias, governança corporativa, compliance e auditoria quando implantadas com efetividade, acaba por trazer a segurança que encoraja e controla os riscos, assim elimina o receio de inovar na gestão das empresas do agronegócio.

Atenção: post exclusivamente informativo e não responsabilizamos por atos e interpretação de terceiros.

Curta este post, compartilha com os amigos, acompanhe no Instagram @alinefonsecaadvocacia, se  inscreva aqui no Blog e receba novos conteúdos semanalmente.

Enfim, pratique o hábito da integridade em seus negócios sendo compliance!

Deixe uma resposta